travessuras do A.

[Depois de uma bela massagem da F., de vários disparates do A., tive tempo para o meu duche. Termino, toca o telefone, saio a correr e vou ao quarto atender para não fazer barulho ao pé deles. É a terapeuta de Reiki atenciosamente a retribuir uma chamada minha.]
 
Conversa puxa conversa, lá estava eu sossegada no meu quarto, quando de repente, CATRAPUM, ouço um grandioso estrondo no quarto das crianças que termina com um sonante choro do A.
 
Vou aflita a pensar que se tinha mandado abaixo da cama, uma vez que agora é hábito apoiar-se na beira das grades e encontro o A. dentro da cama, aflito a chorar e a apontar para o chão a dizer ''Pá, pá...''.
 
Tinha literalmente atirado com o televisor para o chão, mas o desgraçado ainda a funcionar deixava ouvir as músicas do Panda.
 
Furiosa, perguntei ao A., ''quem é que fez isto?!'', ao que o moço apenas dizia entre soluços, ''Pá, pá...''.
 
Conclusão: a aflição dele não era ter atirado com o aparelho para o chão! Que quê?! O problema é que não estava a conseguir ver o Panda com o televisor de ecran espetado contra o chão!
 
E é esta a minha sina: dois filhos maravilhosos que vão dar-me muitas histórias para contar! :)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Site Meter